sexta-feira, 8 de agosto de 2014

DILMA, A EVANGÉLICA: "FELIZ A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR"!

SÃO PAULO — Com um discurso marcado por referências bíblicas, a presidente Dilma Rousseff pediu nesta sexta-feira votos e orações às fiéis reunidas no congresso nacional de mulheres da Assembleia de Deus, em São Paulo. A presidente agradou a igreja ao dizer que reconhecia o trabalho das Assembleias de Deus pelo país. O gesto despertou declarações do presidente vitalício da Assembleia, Manuel Ferreira, e do presidente da igreja no Brás, Samuel Ferreira.
PALAVRAS DA PRESIDENTE: Eu acredito naqueles que creem, acredito no poder de oração. Na Bíblia está escrito que a oração de um justo pode muito em seus efeitos. Quando voltarem aos seus estados não esqueçam de orar por mim, estarei contando muito com isso. Todos os dirigentes deste país dependem do voto do povo e da graça de Deus, eu também — disse Dilma.
Eu nunca ouvi antes um presidente reconhecer o trabalho das Assembleias de Deus. Nem Lula, que é meu amigo. Ele reconhece, mas nunca falou — disse Manoel, que é líder máximo da Assembleia.Com a declaração de Dilma, Manoel Ferreira disse estar com a “alma lavada”:
Além do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, Dilma estava acompanhada do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e do deputado Geraldo Magela (PT-DF), ambos próximos da comunidade evangélica.
NOVAMENTE A PRESIDENTE: O Estado brasileiro é laico, mas, citando o salmo de Davi, eu queria dizer que feliz é a nação cujo Deus é o senhor — disse Dilma, que completou: Reconheço a autoridade e a qualidade do trabalho prestado ao longo de 103 anos da Igreja Assembleia de Deus em todos os estados, em todos os rincões.
PETISTA FOGE DE TEMAS POLÊMICOS
Falando dos programas sociais e com reiterados elogios à defesa da família feita pelos evangélicos, Dilma escapou de temas polêmicos como aborto e homossexualidade, que lhe custaram crise com religiosos nas eleições de 2010.
Integrante da Assembleia de Deus, o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), tentou colocar a polêmica na pauta, discursando antes da presidente. Ele disse que, a pedido da bancada evangélica, a presidente cancelou a portaria 415, que regulamentava o atendimento pelo SUS aos casos de aborto legal, e defendeu que os pastores tenham o direito de pregar que a “homossexualismo é pecado”. Os líderes da Assembleia, no entanto, evitaram retomar o assunto. Segundo participantes do encontro, as evangélicas foram orientadas a receber bem a presidente, sob pena de manchar a imagem da igreja.

fonte: O Globo.

3 comentários:

Alberto Couto Filho disse...

Amigão
Paz

Lembrei-me de uma composição antiga que dizia:
ESSA MULHER CHORA QUANDO QUER; RI SEM TER VONTADE - É ATRIZ DE VERDADE.
SE ELA FOSSE DE FAZER CARREIRA, SERIA UM RENATA FRONZI, UMA VIRGINIA LANE, UMA BIBI FERREIRA.
O amigo já visitou o meu blog??

Duda Guimarães disse...

A Família projeto de Deus vem perdendo o valor em nosso país, pois estão transformando as verdades de Deus em mentiras de homens, se nós evangélicos hoje com quase 43 Milhões no Brasil, entrássemos em oração por verdadeiras mudanças em nosso país, mudanças em todas as áreas,tudo poderia mudar, mas para que isso ocorra verdadeiramente primeiramente a mudança teria que começar por nós, seja na mínima coisa que fazemos para nos beneficiar, seja estacionar em local proibido, seja não dar passagem o pedestre na faixa, ou seja lá o que for, quando a mudança começar primeiro em nós o Brasil vai começar a ter jeito enquanto isso não acontecer, vai entrar presidente sair presidente e nada vai mudar, um avivamento espiritual e moral deve começar por nós crentes em Jesus o Salvador, temos que ser Luz para as trevas que se abateram sobre o nosso país, a Paz e a Graça do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo a todos.

Anônimo disse...

Não sei se é pior ver a Dilma falando da Bíblia só para ter votos ou mais um líder das AD acreditando nela. Isso só mostra o quanto a liderança das AD estão cada vez mais politizadas e menos cristãs.